top of page

Origem da Paella: Uma Delícia Espanhola que Encanta Paladares


A paella, prato emblemático da culinária espanhola, tem suas raízes na região de Valência, localizada na costa leste da Espanha. Sua história remonta aos séculos XV e XVI, quando os camponeses valencianos criaram esse prato como uma refeição prática para levar durante o trabalho rural. Munidos de arroz, óleo de oliva, sal e uma panela especial chamada "paella" - uma panela redonda, ampla e rasa com alças - eles preparavam essa delícia em meio aos campos.

A forma da panela paella facilitava o cozimento uniforme do arroz e dos ingredientes, permitindo um mexido perfeito durante o preparo. À medida que a popularidade do prato crescia, os camponeses incorporavam ingredientes que encontravam em seu entorno, como carne de caça, principalmente lebre e pato, legumes da estação e açafrão, uma especiaria nobre obtida das flores que dá ao arroz sua característica coloração amarelada.

Com o passar do tempo, a paella expandiu-se para além dos campos e chegou às áreas litorâneas, onde frutos do mar como camarões, lulas, vôngoles, mexilhões, lagostins e polvo foram adicionados à receita, transformando-a em um prato "mixto", que unia o melhor da terra e do mar. A origem do nome "paella" remonta ao latim "patella", uma bandeja utilizada na antiga Roma para oferendas aos deuses durante rituais de fertilidade da terra. Além disso, há relatos históricos de que os trabalhadores rurais, ao voltarem para casa nos fins de semana, preparavam essa deliciosa iguaria "Para Ellas" em homenagem às suas esposas, contribuindo para a origem do nome.

A paella tornou-se o prato mais famoso e tradicional da culinária espanhola, sendo apreciado em diversas ocasiões festivas, como casamentos, aniversários, batizados, feriados religiosos e finais de semana. Seu preparo segue um ritual que se manteve praticamente inalterado desde sua criação.

Com o passar dos anos, surgiram inúmeras variações da paella. A "paella marinera" inclui peixe e frutos do mar, enquanto a "paella mista" combina peixe, frutos do mar e carnes. Já a "paella negra" leva tinta de lula, conferindo-lhe uma cor escura característica. Além disso, surgiram versões da paella com vegetais, alcachofras, fígado ou morcela. Outra variante famosa é a "fideuà", que substitui o arroz por macarrão fino chamado "fideo".

Conta-se que a "fideuà" surgiu por acidente, quando os pescadores que criaram o prato não tinham arroz disponível e utilizaram massa no lugar. Hoje, existem mais de 1.000 receitas de paella em toda a Espanha, de acordo com algumas enciclopédias gastronômicas.


Tradicionalmente, a paella é preparada ao ar livre, em fogo a lenha, afastada da cozinha. Nesse ambiente, os homens elaboram esse prato complexo, generoso e rico, sem perder sua virilidade. Antigamente, o fogo era exclusivamente feito com lenha, e os camponeses utilizavam ramos e lascas de árvores frutíferas, especialmente de laranjeiras, que são cultivadas na região de Valência há séculos. As brasas produzidas pelas laranjeiras eram uniformes, intensas e perfumadas, acrescentando um sabor especial à paella.

Com a chegada da tecnologia moderna, o fogo a gás foi introduzido, o que obrigou adaptações no preparo da paella. O prato perdeu um pouco da sua magia original, mas continuou a ter uma importância social significativa. O sucesso da paella depende de vários fatores, como a utilização da panela tradicional chamada "paellera", que possui uma base ampla e pouco fundo, permitindo que o arroz cozinhe de maneira extensa e não em camadas. Sua superfície ampla favorece a evaporação adequada da água durante o cozimento.

Quando a paella está pronta, ela se torna o centro da refeição. O ideal é que todos se sirvam à vontade, pois o clima de compartilhamento e sociabilidade é parte do encanto desse prato. No passado, o ritual de servir era ainda mais comunitário, com o autor dividindo a paella em porções iguais, desenhando triângulos perfeitos no arroz, a partir do centro, de acordo com o número de convidados. Cada pessoa recebia sua parcela e respeitava a porção dos demais.

O diâmetro da paella varia de acordo com a quantidade de convidados, sendo de 25 cm para 2 a 3 pessoas, 30 cm para 3 a 4 pessoas, 35 cm para 5 a 6 pessoas, 40 cm para 6 a 8 pessoas e assim por diante.


Agora que conhecemos a fascinante história e tradição da paella, que tal experimentar preparar uma versão desse prato? Confira a receita abaixo:


Ingredientes:

  • 1 kg de camarão limpo, tamanho 10/12

  • 1 kg de arroz parbolizado

  • 500 g de camarão fresco com casca

  • 400 g de mexilhão

  • 300 g de polvo cozido

  • 200 g de lula fresca

  • 150 g de ervilha fresca

  • 5 g de páprica doce

  • 2 litros de caldo de peixe

  • 300 ml de azeite extravirgem

  • 24 ostras frescas

  • 6 tomates maduros, picados e sem sementes

  • 4 dentes de alho picados

  • 2 cebolas médias picadas

  • 2 pimentões vermelhos picados e sem sementes

  • 2 pimentões verdes picados e sem sementes

  • 2 envelopes de açafrão

  • Sal, pimenta-do-reino branca, salsinha e cebolinha a gosto

Modo de preparo:

  1. Lave os camarões, os mexilhões e as ostras. Corte a lula e o polvo em anéis e reserve.

  2. Em uma frigideira ou tacho, aqueça o azeite e frite os camarões até ficarem dourados. Retire-os da panela.

  3. Na mesma panela, frite o polvo até dourar.

  4. Adicione a cebola, os tomates, os pimentões e o alho à panela e refogue até reduzir.

  5. Acrescente o açafrão e o caldo de peixe, misturando delicadamente. Adicione os temperos restantes e o arroz.

  6. Cozinhe por 30 minutos em panela tampada. Cinco minutos antes de finalizar, acrescente a lula, os mexilhões e as ostras ao redor da panela para decorar. Em seguida, distribua os camarões frescos grelhados por cima e finalize com um fio de azeite.


Aproveite essa deliciosa paella com seus amigos e familiares.

450 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page